sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Poder e crítica

Adeli Sell
Vereador e Presidente do PT-POA


Tem gente que não suporta qualquer tipo de crítica, e eu tenho medo destas pessoas, principalmente quando lhes é dado poder. No poder, sai de baixo. Acreditam que viraram deuses. Viraram? Não, elas tem a convicção que nasceram assim poderosos: deuses.

Na empresa tem aquele chefe que é mais dono da empresa do que o milionário que é o dono de fato. Acha que tem o direito de espezinhar seus subordinados, faz todo mundo se ajoelhar diante de si, como o crente se posta diante do altar do Deus que lhe olha de cima para baixo.

No serviço público não é nada diferente, o sujeito é Cargo de Confiança, está ali sem concurso, mas é o "gestor" do político de plantão, então tudo é com ele. Ele é quem dita as ordens. E o funcionário de carreira quando recebe uma função, perigo à vista, desconhece os seus colegas iguais até ontem.

O poder parece ser uma bebida com alto teor alcoólico que deixa o sujeito tonto. Mas este problema da barreira para a crítica está presente em todos os cantos. Não é apenas o chefe de uma seção de empresa, de uma autarquia pública. O problema é geral. No Parlamento, onde me encontro nos dias atuais, estou rodeado de pessoas que não toleram críticas. Responder, contestar, faz parte da Natureza do criticado. Seria covardia não fazê-lo.

Mas vejo que a pior forma de responder à crítica é a surdez somada a atitudes exatamente em oposição ao que lhe criticam. Todo mundo falando que aquilo está errado, a pessoa nem aí nem te ouve e continua fazendo tudo igual.

E horrível também é a pessoa cobrar das pessoas por que ousam em criticar? Quem lhes deu este direito de questionar, de criticar? E hoje em dia tudo isto se dá em dois níveis: “on line” e “off line”.

No passado era meio cara a cara. Mas atualmente as coisas tem mais espaço no "on line", onde as coisas se dão com mais vigor, com mais crueza, pois é algo sem a alma, sem sangue. Tudo é meio robotizado. Tudo é mecânico, mas ainda tem gente com alma, que sabe o quanto dói humilhação, o quanto é cruel o assédio moral.

Mas a forma de responder ou não responder a uma crítica pode ser como uma pancada dura na cara. Só sei que quem não for permeável a críticas, quem se faz de surdo, quem continua fazendo metamorfose ambulante para tentar passar de um simples mortal em Deus, é um perigo maior quando aumentar o seu poder.

E eu tenho medo destas pessoas, principalmente quando lhes é dado poder, qualquer poder.

2 comentários:

Wjr Consultoria Negocios disse...

Adeli você é o nosso orgulho como amigo e presidente do nosso PT, tenho orgulho de bater no peito e dizer esse lider é meu amigo e votei nele!!!! Tu será o NOSSO PREFEITO POA PRECISA DE TI!!!!!!

Sérgio Marion disse...

Boa tarde Companheiro Adeli,
Sou Sérgio Marion de Santiago/rs, nos falamos acho que vez só no mercado publico ai em Porto Alegre, voce estava com o companheiro Júlio Garcia meu amigo aqui de Santiago, agora estou seguindo seu blog assim posso acompanhar seu trabalho, meu blog é sergiomarion.blogspot.com
Um grande abraço Comapanheiro,
Sérgio Marion