quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Vereadores conhecem experiência de Rosário



Vereadores da Câmara de Porto Alegre conheceram esta semana o projeto urbanístico de uso da orla do rio Parana na cidade de Rosário, Argentina. Cidade bastante semelhante a Porto Alegre, tanto por sua localização às margens de um importante rio quanto por sua população (1,2 milhão de habitantes), Rosário desenvolve há cerca de doze anos um processo extremamente bem sucedido de planejamento urbano e revitalização de sua orla.
Os vereadores Adeli Sell (PT), Airto Ferronato (PSB) e Valter Nagelstein (PMDB) foram recebidos pela Municipalidade de Rosário, Câmara de Vereadores e autoridades portuários, participando de uma intensa agenda que incluiu reuniões, debates e visitas à operação urbanística que acontece numa importante faixa costeira. Os vereadores, por iniciativa do Adeli e com o apoio da Câmara, conheceram o projeto de valorização e acessibilidade universal que é implantado em mais de 17 quilômetros da orla do rio Paraná, com especial ênfase no Centro Histórico e área portuária daquela cidade.
Os vereadores constataram que é preciso um projeto global para a área costeira, prevendo sua utilização democrática pelo conjunto da população, e não projetos segmentados que não se inserem em uma proposta urbana global e integrada.  Foi consenso também entre os visitantes que a implantação de um projeto desta envergadura é possível através de parcerias público/privadas, sendo fundamental, entretanto, que as concessões permaneçam sob controle público.

Rosário dá exemplo, também, ao determinar que vinte por cento do investimento privado nas áreas de concessão deve ser aplicado em contrapartidas que beneficiem o conjunto da população da cidade, como habitações populares, recuperação de áreas degradadas ou em obras definidas pela municipalidade.
Para os vereadores, um dos principais aprendizados trazidos de Rosário é que, para que algo semelhante possa ter sucesso também em nossa cidade, é imprescindível um plano estratégico urbano, ambiental e econômico de longo prazo, que seja promovido por instâncias de planejamento de Porto Alegre e da Região Metropolitana.

Lucia Jahn (MTb 16502)

3 comentários:

valeriobrl disse...

No vamos a esquecer os sonhos do irmão Elton, espero que un dia em Porto Alegre seja dedicado em memória desse martire do MST.
Eu no vou parando de sonhar em um pais + justo com:
-saúde
-educação
-trabalho
PARA TODOS!!
NO a criminalizar o MST
SIM a uma "verdadeira" reforma agraria.

ADELI SELL disse...

fomos lidso
ito é importante
mesmo que o comentário não seja propriamente sobre o tema
como aqui é um espaço democrático
está publicado
por sinal, em rosário o governo é de esquerda, como eu me considero de esquerda
Adeli

valeriobrl disse...

Adeli, obrigado por expor meu comentário.
Posso estar errado, ma na minha opinião o poder de lobbing da :
Monsanto, Unilever, Kraft e Nestle
(acquifero Guarani-agua-Frei Sergio Gorgen) è tam forte que até a política (no somente a sociedade) precisa de movimentos sociais forte, assim como o MST.
No falo e no quero falar do Stideli o outros, sendo o PT assim como o MST assim como os sonhos do irmão Elton, coisas que sobrevivem aos homens et aos erros deles.
Se alguem erra (Stideli?) no è para condenar o movimento ma quem erra!
No se joga da janela a criança (MST) junto com as aguas sujas.
Acho incrível et hipócrita este tentativo de condanna do MST.
Eu no quero nada do MST, falo sò de coração et com muita paixão política.
DEPOIS das eleições presidencial (entendo perfeitamente os problemas da makina política), acho que o PT federal e o PT estadual tem que fazer mais por este movimento.
Ma sendo valeriobrl, um zèninguem, è somente uma opinião de um cidadão qualquer.
Um abraço.
Peço desculpa pelo meu horrível português (sou Italiano)