segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Não faltam recursos à Prefeitura de Porto Alegre. Falta um prefeito que vá ao encontro deles, diz Comassetto, líder da Bancada do PT

Não faltam recursos à Prefeitura de Porto Alegre. Falta um prefeito que vá ao encontro deles


A propósito da notícia veiculada pelo jornal Correio do Povo (15/01, página 15), sob título “Porto Alegre com poucos recursos para a Copa”, causou-nos estranhamento a “surpresa” manifestada prefeito José Fogaça diante do fato de Porto Alegre ter ficado “em antepenúltimo lugar” na distribuição de recursos do Governo Federal voltados às obras de mobilidade urbana, com vistas à Copa 2012.

Desde que assumiu a Prefeitura de Porto Alegre, José Fogaça abdicou do papel republicano, mister do Poder Executivo, de idealizar e desenvolver projetos e de empreender esforços junto à União e ao governo estadual para conseguir os recursos necessários para a implementação dos mesmos.
Já perdemos a conta das vezes em que o Prefeito Fogaça deixou de receber verbas preciosas do Governo Federal, simplesmente por não apresentar os devidos projetos dentro dos prazos e das normas legais. Foi assim, por exemplo, que o Hospital de Pronto-Socorro – HPS – perdeu recursos da ordem de 7 milhões de reais para obras de ampliação e melhoria dos serviços. O dinheiro já estava à disposição no Ministério da Saúde, mas Fogaça desdenhou da verba. Igualmente, por falta de apresentar projetos, nosso prefeito abriu mão de importantes recursos do Ministério das Cidades para duplicação de vias na capital gaúcha. É o caso – recentíssimo – da Avenida Edgar Pires de Castro, principal avenida de acesso aos bairros mais populosos da zona sul da cidade, agora bloqueada ao tráfego por causa de uma ponte que se desmanchou.

Culpar o governo federal pela incompetência municipal é algo que não se sustenta. Dizer que Porto Alegre “não anda” por falta de dinheiro, é uma grande falácia.

Apenas em 2009, mais de 800 milhões de reais foram injetados em Porto Alegre pelo Governo Lula, em obras e serviços. Sem falar nos recursos destinados a investimentos: R$ 498 milhões, oriundos do FGTS, já foram contratados, e mais R$ 368 milhões, destinados à Copa do Mundo, estão em vias de contratação. E mais: R$ 87,8 milhões, do Orçamento Geral da União, igualmente contratados, a fundo perdido. Restam, ainda, para contratar em 2010, cerca de 5 milhões de reais. Se dependesse apenas da “hiperatividade” de nosso prefeito, esses recursos, certamente, teriam passado ao largo.

Vereador Engenheiro Comasseto

Líder da Bancada do PT na Câmara Municipal de Porto Alegre








2 comentários:

César Bento disse...

Fogaça não consegue administrar uma Prefeitura supostamente superavitária e recebendo recursos federais. Como fará para administrar um estado com dificuldades financeiras crônicas?
Vai passar chorando o tempo inteiro?

Anônimo disse...

Gostaria de saber se realmente alguem trabalha no PGM/JAI,pois já faz mais de 25 dias que estamos esperando uma resposta que deveria ser de 15dias,o prometido , é sempre a mesma resposta ligue sexta feira ,como que só sexta teria alguém no departamento?(pode ser que alguém me escute) para obter uma resposta dentro do prazo prometido?Para pagarmos os impostos temos que ser pontuais ,senão levamos multa,acho isto um desrespeito ao comtribuinte.Lamento por chegarmos a este desabafo ,mas não tem explicação o que estão fazendo conosco.