segunda-feira, 30 de novembro de 2009

SEMANA DO VIADUTO OTÁVIO ROCHA

SEMANA DO VIADUTO OTÁVIO ROCHA


Sou o autor da Lei que criou a Semana do Viaduto Otávio Rocha, eis a exposição de Motivos que fiz na época.

Adeli

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

Popularmente conhecido como “Viaduto da Borges” (porque se localiza na Avenida Borges de Medeiros), o viaduto Otávio Rocha é o mais antigo de Porto Alegre. Sua origem começa em 1914 quando o primeiro Plano Diretor da cidade previu a abertura de uma rua para ligar as zonas leste, sul e central de Porto Alegre até então isoladas pelo chamado “morrinho”. Em 1926 o intendente Otávio Rocha, conjuntamente com o então Presidente do Estado Borges de Medeiros, decide executar as obras.

Para atender os objetivos da abertura da Avenida Borges de Medeiros fez-se necessário desterrar o trecho mais alto do traçado da avenida, ocasionando a descontinuidade da rua Duque de Caxias. Para restabelecer o tráfego da mesma, foi proposta uma passagem de nível, o Viaduto, em concreto armado. Em outubro de 1928 é assinado o contrato com a firma vencedora da concorrência, a Companhia Construtora Dyckerhoff e Widmann (firma alemã), com a supervisão dos engenheiros Manoel Itaquy e Duílio Bernardi.

Desde sua construção o Viaduto Otávio Rocha é um importante ponto de referência de Porto Alegre. Possui uma estrutura de concreto armado, com três vãos e quatro rampas de acesso para pedestres. Na parte central, há dois pórticos transversais onde estão localizados dois grandes nichos, nos quais foram colocados dois grupos ornamentais. Todo o revestimento foi feito em reboco de pó de granito, de cor cinza, dando um aspecto de pedra aparelhada. “Para nós moradores do Centro, ele é um dos mais belos monumentos de nossa cidade”-Jaqueline Sanchotene - Movimento Viva Gasômetro.

Suas características arquitetônicas, bem como sua relevância sócio-cultural, levaram o município a inscrevê-lo no Livro Tombo, sob o registro número 26, em 31 de outubro de 1988.

Além de sua arquitetura o Viaduto Otávio Rocha possui hoje 24 lojas comerciais de diversas atividades, como lancherias, artesanato, disco-fitas, serviços de fotocópias, sapateiro, ourives, relojoeiro, lotérica, artigos religiosos, barbearia, material fotográfico, também possui 5 lojas de entidades representativas: Associação das Creches de Porto Alegre, Casa do Poeta do Rio Grande do Sul, Associação dos Escritores Independentes, Associação de Moradores e da Etiqueta Popular (projetos de incentivo ao comércio de artesanato e confecções locais). Também no viaduto estão localizados alguns dos focos de resistência à Ditadura Militar: A ARI - Associação Riograndense de Imprensa e o histórico Teatro de Arena, além dos Hotéis Everest e Savoy.

Desde 1978 os permissionários tem-se mobilizado em relação aos cuidados com a preservação do Viaduto, sendo que foi formalizado em dezembro de 2007 como Associação Representativa Cultural dos Comerciantes do Viaduto Otavio Rocha (ARCCOV).

A ARCOOV escolheu a primeira semana de dezembro para ser oficialmente a Semana Municipal do viaduto Otávio Rocha em razão de o viaduto não ter outra data significativa já que nunca foi oficialmente inaugurado.

A Semana Municipal do Viaduto Otávio Rocha irá contribuir para a sensibilização e conscientização da conservação do patrimônio histórico e cultural, revitalização, humanização e divulgação dos encantos do viaduto Otávio Rocha.

Com certeza esta associação, que congrega comerciantes e moradores dos altos do viaduto, fará da Semana Municipal do Viaduto Otávio Rocha um grande acontecimento em Porto Alegre, com a ativa e necessária ação da Prefeitura.

Sala das Sessões, 07 de janeiro de 2009.

ADELI SELL

PROJETO DE LEI

Institui a semana Municipal do Viaduto Otávio Rocha, no âmbito do município de Porto Alegre, a ser realizada, anualmente, na primeira semana do mês de dezembro.

Art. 1º Fica instituída a semana municipal do Viaduto Otavio Rocha, no município de Porto Alegre, que ocorrerá anualmente, na primeira semana do mês de dezembro.

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.






2 comentários:

Ricardo disse...

Pena que o pessoal do Utopia e Luta tenha sido excluído da programação da Semana, pois o mais recente e valioso capítulo da história do viaduto é a formação desse coletivo de moradores do antigo prédio do INSS.

Abraço,
Ricardo Ramos

Jorge Quillfeldt disse...

Prezado Adeli,

Excelente resenha histórica de nosso magnífico Viaduto (onde conheci teu sebo já vão algumas décadas). Para um parlamentar do PT, porém, chama demais a atenção o fato de teres omitido o acontecimento mais notável daquele precioso ponto de nossa cidade: a ocupação, reforma e inauguração daquele que é um dos principais projetos sociais de reforma urbana no país e, possivelmente, do mundo, que é o Residencial Utopia e Luta, primeiro prédio público do país destinado à moradia popular, uma metamorfose assombrosa daquilo que uma vez foi um edifício abandonado do INSS. Recorde-se que o próprio Ministro das Cidades esteve aqui inaugurando-o em 22 de maio de 2009 em belíssima cerimônia .

Como é possível semelhante lapso?

Saudações,

Jorge Quillfeldt